Sábado, 5 de Março de 2011

SER ELISTA

 

 

Sempre que queremos deixar algo transparecer de nosso íntimo, falamos daquilo de que mais gostamos e temos em nós como fonte de bem e de amor. Assim, falaremos da cultura com vida, como sentido e propósito para o tempo de permanência no planeta Terra.

 

O homem não pode viver de forma solitária, a menos que assim faça a sua escolha ou que seja este o seu propósito de vida. Mas, o que é certo, mais cedo ou mais tarde, as pessoas solitárias descobrem que não se expandem no altruísmo, na solidariedade, no seu amor humano que é de relacionamento; o amor ao próximo.

 

Então, os mais sensatos unem-se em grupos. E esse sentimento grupal ensina e se confraterniza; e o homem aprende a dividir para aumentar o seu potencial de vida, de amor, de intenções e propósitos. Convive com o outro, e isto satisfaz o seu desejo de multiplicar-se, de se tornar digno perante o amor e a amizade, constituídos por exemplos que cada qual possa dar.

 

Assim são os Elistas que se unem em grupos chamados ELOS CLUBES. São verdadeiros baluartes das lutas, das disputas saudáveis e condizentes com a dignidade humana, dentro da cultura e dos preceitos morais que a regem.

 

O Elista é e precisa ser alguém com quem se possa contar, pois tem conhecimento e consciência de seu potencial humano e vivência as várias experiências trazidas pelos Membros de seu Clube. E quando se reúnem em “Encontros” como este, convenções, quer de âmbito nacional ou internacional, crescem os seus conhecimentos, e sua cultura se desdobra para um entendimento maior em favor do Movimento Elista, para que este jamais venha a estagnar-se.

 

E que se somem uns aos outros, nos mesmos ideais de vida, de luta pela preservação da Língua Mater, sempre no melhor de seus intentos e em favor da Causa Maior. Este é o “moto continuum”, um subir de degraus para alcançar o topo da sabedoria, cujas lições são valiosas por serem carregadas de experiências vividas e tidas como válidas por todo o grupo, que deixa de ser individualista para ser uma UNIDADE – uma célula grupal criando uma força de Egrégora, cujos pensamentos estarão voltados para o bem comum... É uma Comunidade!

 

Eis o Ideal do Elista. Sempre em acção altruísta, onde a partilha existe por ser benéfica e solidária, plenamente consciente do que se quer e se tem de fazer. Obedece as normas, estatutos, juramentos, sempre no sentido de trazer mais e mais benefícios e superioridade, força e equilíbrio para os componentes; para todos, sem distinção, desde que professem os mesmos ideais e se mantenham na mesma linha de conduta.

 

Nossa ORAÇÃO ELISTA é o símbolo da espiritualidade. Os PRINCIPIOS ELISTAS formam o triângulo perfeito das leis morais e, em vista disso, o Elista deve ser o Elo mais eloquente que a sociedade possa ter, pois ele se torna o baluarte da sinceridade em seus propósitos e no refinamento de seu espírito, na subtil habilidade de ser útil a si e aos outros.

 

Este é o perfil do ELISTA, pois propugna pela elevação dos pensamentos, palavras e acções. Ele deve ser a expressão máxima do patriotismo, da manifestação do amor e da amizade com veracidade, quer para si mesmo, quer para a sociedade em que vive. E, particularmente, pelo seu Clube, pelo seu Distrito e pelo Ideal Elista engrandecido universalmente.

 

Sou pelo Amor Universal que nos inspira e nos orienta perante nossos Ideais.

 

 Cidinha Frigeri - Acordeon Maria Aparecida Frigeri

Presidente Elos Clube de Londrina – 2008/09

tags:
publicado por elosclubedelisboa às 08:55
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Maria Inês Botelho a 5 de Março de 2011 às 14:06
Prezados membros do Elos Clube de Lisboa:

A publicação da presente reflexão sobre o que é "Ser Elista", cuja autoria é da CE Maria Aparecida Machado Frigeri, Presidente do Elos Clube de Londrina (PR-BR), Gestão 2008-2009 e membro da Diretoria Internacional de Cultura, Gestão 2009-2011, encaminha-nos, apropriadamente, para o aprofundamento das Relações Elistas, visando a manutenção e expansão do Elos Internacional da Comunidade Lusíada.
Acionarmos a aplicabilidade dos Princípios constantes na Carta de Princípios Elistas torna-nos-nos mais humanos, mais defensores da paz universal e da manutenção e expansão da língua portuguesa. Mantenhamos, pois, as mãos unidas "numa corrente de harmonia e ocupemos nossos lugares na construção."
Saudações Elistas,
CE Maria Inês Botelho-Presidente do Elos Internacional da Comunidade Lusíada




Que mantenhamos as mãos unidas "numa corrente




Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. TE DEUM – JOÃO DOMINGOS B...

. Organização Mundial de Me...

. GALAICO-PORTUGUÊS - LÍNGU...

. MACAU - PADRE RUIZ

. PINTOR ANTÓNIO CASIMIRO

. COISAS DA ÍNDIA - 2

. Beato Diogo de Carvalho

. MUSEU DE ÉVORA

. REPORTAGEM

. “OMENS” SEM “H”

.arquivos

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds