Quinta-feira, 28 de Julho de 2011

COISAS DA ÍNDIA - 2


 

 

Era corrente inventarem-se irregularidades, difamarem-se, excomungarem-se, levantarem-se boatos falsos de adultério e relações amorosas de clérigos com mulheres. Ninguém escapava. Não foi livre de acusações ignóbeis que Afonso de Albuquerque encheu de ouro e prata os cofres da Corte em Lisboa.

 

Morreu no mar, navegando de Caliate para Goa e, na agonia da morte, já na barra, ainda vislumbra a cidade pela última vez, que em vida tanto tinha amado.

 

D. Manuel I e depois D. João III não permitem que os ossos de Albuquerque regressem ao solo pátrio. Voltaram quando as vozes de Justiça se levantaram 50 anos depois de sua morte e foram sepultados na capela de Nossa Senhora da Graça que o próprio tinha mandado construir antes de partir para o Oriente.

 

" De mal com Homens por amor a El-Rei e de mal com El-Rei por amor aos Homens. Bom é acabar". Palavras de Albuquerque em resposta às artimanhas intriguistas usadas pelos "Varões Assinalados", seus contemporâneos, que miseravelmente o traíram e atingiram a sua honra, depois de tantas façanhas heróicas que dotou Portugal.



Bangkok

 

 José Gomes Martins

tags:
publicado por elosclubedelisboa às 08:50
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. TE DEUM – JOÃO DOMINGOS B...

. Organização Mundial de Me...

. GALAICO-PORTUGUÊS - LÍNGU...

. MACAU - PADRE RUIZ

. PINTOR ANTÓNIO CASIMIRO

. COISAS DA ÍNDIA - 2

. Beato Diogo de Carvalho

. MUSEU DE ÉVORA

. REPORTAGEM

. “OMENS” SEM “H”

.arquivos

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds